sábado, 7 de janeiro de 2012

Eles

[Ela]
Vestida com a delicadeza das flores
Caminhava como se composse uma canção.
Os olhos eram ninhos de abelhas
Possuíam um mel transparente
E revelavam a doçura da alma.

[Ele]
Vestido com a aspereza das folhas
Caminhava como se deixasse um pouco de si.
Os olhos eram escuros como a noite
Possuíam a triste solidão
E revelavam a frieza da alma.

[Eles]
Buquê exótico, composição.

[Ela]
Feita de sonhos.
Um sorriso transparecendo paz
Um olhar repleto de calma
O mundo era mágico quando a essência
Espalhava-se ávida à sua volta.

[Ele]
Feito de realidade.
Lábios rigorosos riscavam a guerra interna
Um olhar sério e perfurante
O mundo era uma dor profunda
Ao emanar as lembranças à sua volta.



[Eles]
Uma terceira dimensão entre o mágico e o real.

[Ela]
Mar...
Ondas agitadas a dissolverem na areia.
Um vai e vem alegre e dinâmico.
Profunda em sentimentos
Infinita bondade a se dissipar.

[Ele]
Rio.
Parado nas desilusões de seu âmago.
Barrento... Esperando a próxima pedra a ser atirada.
Raso de emoções,
Limitado de si mesmo.

[Eles]
Oceano de águas doces e salgadas.
 
[Ela]
Palavras.
Um grito intenso para o mundo.
A expressão de ser quem é
A voz que soa suave e feroz.
O revelar-se, mostrar-se e transparecer-se.

[Ele]
Silêncio.
Um calar-se com a existência inexistente.
A inspeção de ser quem é.
Um vagar por dentro de si
O conter-se, repensar-se e esconder-se.

[Eles]
O Silêncio de um Grito.



-Retornando...