segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Um pedido;

Lucas,

Hoje te escrevo pra te fazer um pedido. 

Sabe aquelas noites em que você vinha me ver, andando distraído pela rua e sorrindo por que sabia que eu te olhava da janela, eu te peço que esqueça. Lembra de quando andávamos de mãos dadas ao por do sol pela mesma praia, onde quase morri afogada, até suas mãos encostarem-se a mim, bem... Naquele dia eu pediria pra você não chegar perto, mas hoje te peço somente que esqueça.
E no dia em que você me ligou, pedindo pra eu abrir a porta, pois você vinha com aquele buquê com as flores que eu mais amo e que eu chorando disse que te amo, por favor, apague isso de sua memória. Tinha também aquele ritual de domingo, onde fechávamos os olhos e fazíamos um pedido, você sempre pedia a mesma coisa: “Quero pelo resto da minha vida, sentir o calor de seu corpo e o invadir suave de seu beijo.” Hoje nesse domingo, peço que você esqueça todas essas palavras.
E naquela tarde, onde uma tempestade impediu nossos planos de acampar, e morrendo de raiva você saiu correndo feito um doido pela chuva e depois me chamou pra dançar já mais calmo. Você fez chocolate quente pra mim, ainda naquela tarde e pegou um cobertor, pra nos aquecer do frio. Eu suplico a você que esqueça isso também.
E no sábado do mês de fevereiro, em que você estava do meu lado no ônibus, porque eu iria pra outra cidade para tratar meu câncer, que nos causou tanta dor, todas aquelas histórias que você contou no caminho pra me ver sorrir, esqueça-as.
Esqueça também a boa noticia de que o câncer havia sido derrotado, como eu me lembro desse dia, você me abraçou tão forte. Você chorou! Você se ajoelhou diante do médico, querendo agradecer, mas não achou palavras. E eu também chorei, mas não pelo mesmo motivo. Você não sabia a dor que eu estava sentindo naquele momento, era pior do que o próprio câncer, que foi mais forte que eu.
Sim, eu menti pra você meu amor. Não sabe o quanto isso me matou nesses seis meses em que ficamos juntos. Mas eu não suportaria te dar essa noticia. Não, eu não conseguiria. Você foi meu tudo durante esse tempo, e o que eu iria fazer se meu tudo estivesse triste nos meus últimos meses?
Por isso, eu só posso te fazer um pedido: Esqueça-me, para que eu possa ir, para que eu possa partir...

P.S: Só não esqueça que um dia existiu um coração que te amou mais do que a ele mesmo! 
                                 
                                                                                                Sophia.