sexta-feira, 1 de abril de 2011

O herói


Esquivou-se, respirou e acelerou-se;
Olhos mantinham-se presos,
Havia sido aquele o primeiro ato
(In)docemente arriscado ao indefeso.

Destemido, sagaz e uniformizado
Passos rápidos, últimos segundos
Características sólidas, corajosas.
Mãos firmes sobre os necessitados do mundo.

Necessitavam de olhos atentos
De um coração bom e solidário
De mãos firmes, de coragem
 E eis que uma mão estendeu-se para ajudá-los.

Indócil era o momento, mais não os olhos
Crianças choravam na ciranda de fogo
Jatos de água, arriscavam suas vidas
É assim o coração de um bombeiro, corajoso.

Pauta para o Bloínquês- 32ª Edição Poemas.