terça-feira, 5 de abril de 2011

Linhas temporais

Aqui está ele comigo
Eternizado em distintos capítulos
Correndo, parado, perdido.

Consumindo-me os dias.
Estranha forma de pertencer
A essas linhas temporais
Em melodia que me faz adormecer.

Ele parado me consome
Acelerado me carrega
Perdido desperdiça
Um não ato de entrega.

Leva-me amores,
Traz-me dores e,
As curam; atrevido!
Intrépido e destemido.

Autoridade sobre corpos
Responsabilidade sobre subjetivos
Pai do mundo, subjacente.
Estás em cada um escondido.

Várias faces inclinadas
Sobre medos camuflados
De um futuro desolado
Que só pelo tempo é revelado.

Pauta para o Bloínquês- 33ª Edição Poemas.