quinta-feira, 3 de março de 2011

Segredo

Por que foges assim?
Ouço a voz que se cala,
Perdida entre milhares 
Daquelas que gritam.

Ciranda de dores
Cantos de amor;
Solitária és tu
Que o doce amargou.

Por que choras assim?
Salgadas elas descem
Passeiam em tua face,
Enquanto o amor cresce.

Apertado, esmagado
Estás por dentro escondido
Tal sentimento negado
Aos próprios ouvidos.

Por que mentes pra si?
Sufoca-se em desespero
Tentativas falhas,
Guardadas em segredo.
És tu só medo?


-Escrevi esse poema e dedico-o a minha amiga Ana do blog: HumorEmConto,
ela que sempre passa por aqui e afirmou gostar de meus poemas.