quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Amanhã...


Eu vi o que mais ninguém viu...
Eu me vi indo embora de mim mesma, partindo!
Eu fui pro amanhã, e nele nada existe, nada...
No amanhã sonhos são passados da noite de ontém e não podem ser realizados.
No amanhã esqueço quem sou, por que quem sou ficou no ontém que não vive!
No amanhã não existe medo, mas também nunca existirá coragem.
Nele não somos o que queremos ser e muito menos o que realmente somos...
No amanhã somos o nosso resto que jogamos fora ao ir empurrando com a barriga.
Lá está eu no amanhã, no pior lugar que pode existir, eu empurrei meus restos pra lá...
Como buscá-los? Eu ainda tento saber... Eu ainda procuro os meus restos, para continuar-me por inteira...
Para que eu possa ver, dessa vez para que todo mundo possa ver, que o que deve ser feito, deve ser feito hoje... AGORA!
Por que no hoje podemos sonhar e realizar...
Por que no hoje somos por completo o que realmente somos e o que queremos ser....
No hoje as palavras são ouvidas e duram no amanhã!
No hoje existe medo, mas também existe coragem suficiente para combatê-lo!
No hoje eu me encontro e nunca mais me perco!